Central de Atendimento
65 3622-3099

Obrigado, Ariano Suassuna!

Obrigado, Ariano Suassuna!

" A Cultura brasileira só pode ser compreendida através da expressão ‘unidade na variedade’. É preciso que cada brasileiro, portanto, se preocupe em conhecer de modo mais profundo o seu chão, a sua aldeia, as suas tradições, os aspectos locais de sua cultura, para, num movimento de expansão, do local para o nacional (e daí para o universal), empreender o voo de compreensão do universo maior da cultura brasileira, para que cada um, na medida de suas forças, possa valorizá-la e defendê-la dos que a querem descaracterizar e corromper”.

As palavras de Ariano Suassuna, publicadas no prefácio do Caderno de Cultura do “Travessia” – programa de aceleração de estudos de Pernambuco, com a metodologia do Telecurso – são reveladoras da visão que esse brilhante escritor, dramaturgo, romancista, professor, advogado e filósofo tinha da cultura, da educação e da valorização do ser humano, como indivíduo e em comunidade.

A Fundação Roberto Marinho honra-se de ter sua trajetória marcada pela genialidade de Ariano. Adotamos sua obra como ferramenta de ensino em mais de 30 mil salas de aula do país. O “Auto da Compadecida”, por exemplo, foi lido, interpretado e distribuído para dezenas de milhares de estudantes da rede pública de ensino, nos programas do Telecurso espalhados pelo Brasil.

“O Santo e a Porca” é outro exemplo de livro incluído na atividade pedagógica do Telecurso conhecida como Percurso Livre, que trabalha a língua portuguesa e a linguagem matemática, e incentiva os alunos a levarem os livros para casa, como estímulo ao hábito de leitura em família.

Suassuna também deixou sua marca em encontros inesquecíveis, que foram fundamentais para acolher e mobilizar estudantes da rede pública em defasagem idade-ano, no ensino médio e fundamental. Em 2007, ele reuniu mais de 7 mil estudantes do Travessia no Teatro Beberibe, em Pernambuco, para uma “aula-espetáculo”. Na oportunidade, Suassuna conduziu os presentes a uma viagem pela arte e cultura pernambucanas, envolvendo e valorizando o aprendizado de cada um e de todos.

A Pedra do Reino

Também em 2007, quando Suassuna completou 80 anos, a Fundação Roberto Marinho promoveu a visita de estudantes e educadores de 12 escolas públicas à exposição “A Pedra do Reino”, no Rio de Janeiro. O objetivo era incentivar as escolas a realizarem um trabalho educativo a partir do contato com a vida e a obra do escritor. Participaram escolas estaduais de São João de Meriti, Vila Kennedy, Caxias, São Gonçalo, Quintino e Taquara, os Colégios de Aplicação da UFRJ e UERJ e de dois Centros de Ensino Supletivo (Triagem e Copacabana). Um grupo de alunos e professores também veio da Paraíba especialmente para a abertura da exposição.

Como mais uma demonstração de afeto e comprometimento com a educação, Ariano gravou uma mensagem especialmente para os estudantes que participaram dessa atividade, por meio da qual os estimulava a “olhar tudo com paixão e interesse”. Para apoiar a atividade pedagógica, os educadores receberam materiais (textos e DVD), além de orientações para utilização em sala de aula, com o objetivo de estimular os estudantes a explorar os temas que compõem o universo do escritor e, consequentemente, o nosso patrimônio cultural.

Paço do Frevo

Em fevereiro de 2013, a Fundação Roberto Marinho teve o privilégio de comemorar a inauguração do Paço do Frevo, ao lado de Suassuna, em Recife. O escritor, símbolo da valorização da cultura regional e nacional, esteve presente na cerimônia que marcou a abertura deste centro de referência de ações, projetos e atividades para valorizar, proteger, transmitir e promover o frevo, uma das principais tradições nacionais, reconhecido como Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil e da Humanidade.

Ariano afirmou certa vez: “Eu sou um apaixonado pela vida e eu não fui, como todos nós, consultado antes de nascer. Mas se a consulta me fosse feita hoje, eu queria nascer 100 vezes”. :)

Por tudo o que representa para a cultura popular e para os brasileiros, de uma forma geral, e, em particular, para os projetos em que deu seu toque inesquecível de paixão, entusiasmo e humor, a Fundação Roberto Marinho espera que Suassuna renasça 100, 1000 vezes nas mentes de nossos estudantes e no nosso dia a dia, para, como dizia ele, “empreendermos o voo de compreensão do universo maior da cultura brasileira”.

Obrigado, Ariano Suassuna!

http://http://www.telecurso.org.br/obrigado-ariano-suassuna/

VOLTAR